Caso foi registrado em uma fazenda na zona rural de Dueré, na região sul do estado. Padrasto das crianças, dono da arma, deve ser investigado por negligência. Cidade de Dueré, região sul do Tocantins
Reprodução/TV Anhanguera
O adolescente Luis Carlos de Oliveira Costa, de 12 anos, morreu após ser atingido por um tiro acidental disparado pelo irmão, de nove anos. O caso aconteceu em uma fazenda em Dueré, região sul do estado, na manhã desta quarta-feira (22). De acordo com a Polícia Civil, a criança pegou a arma de fogo do padrasto, que estava escondida embaixo de uma cama.
Os dois estavam sozinhos na casa quando o acidente aconteceu. O adolescente teria repreendido o irmão e disse para guardar a arma. Os dois teriam puxado a arma ao mesmo tempo e um disparo acabou acontecendo. Luis Carlos foi atingido no tórax.
A família chegou a chamar o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para socorrer o adolescente e encontraram a ambulância no caminho da cidade. Os socorristas de Dueré tentaram reanimar Luis, mas ele não resistiu ao ferimento.
A arma, segundo a polícia, era um tipo de carabina de pressão adaptada para munição calibre .22. A Polícia Civil informou que embora a situação configure homicídio culposo, quando não há intenção de matar, trata-se de uma fatalidade e a criança não responderá pelo fato, pois é menor de 12 anos.
O procedimento adotado para o caso é a abertura de um inquérito policial para apurar o crime de omissão de cautela por parte do padrasto, que corresponde por deixar a arma acessível a menores de 18 anos, conforme previsto no Estatuto do Desarmamento.
A polícia afirmou que também vai solicitará à prefeitura de Dueré que designe profissionais para fazer o acompanhamento psicológico da criança de nove anos e sua família.
Veja mais notícias da região no g1 Tocantins.

Fonte: G1 Tocantins


Compartilhar:

Deixe seus Comentario